The Caves of Chaos

Primeira Sessão

Grupo: Barbudo (guerreiro Anão), Anash (clériga Humana, devota de Pelor), Iore (clérigo Anão, devoto de Moradin), Renly (feiticeiro Elfo), Xyk (ladrão Halfling).

Nível: 1


Resumo: Os aventureiros embrenham-se pelas cavernas do Caos, entrando numa caverna que vêm a descobrir pertencer à tribo dos Goblins. São atacados pelas criaturas, que recrutaram também a ajuda de um Ogre. Após a dura batalha retrocedem para a floresta, onde tratam das suas feridas e descansam até ao pôr do Sol. Voltam a entrar na caverna, e combatem o resto dos Goblins, deixando apenas um único prisioneiro vivo.


O ladrão Xyk nota a presença de movimento numa árvore na base da encosta sul. Preocupados com a possibilidade de uma emboscada, e uma vez que as restantes entradas não estavam ao nível do solo, decidiram-se pela caverna mais próxima, na encosta sul da falésia.

Os aventureiros entraram cuidadosamente na caverna, empunhando os seus archotes e as suas armas, não sabendo o que esperar dos seus habitantes. As paredes interiores eram inicialmente rudimentares, mas vários troços parecem estar particularmente bem talhados, e os anões do grupo ficaram convencidos de que se tratará de trabalho realizado por civilizações antigas e não por uma raça de humanoides selvagens.

GoblinPerante uma trifurcação, dedicam pouco tempo a discutir qual o rumo a tomar, pois são interpelados por um grupo de seis Goblins vindos de Oeste.

Uma vez que as criaturas não pareciam interessadas em dialogar, os aventureiros iniciaram o combate, constatando rapidamente que os seus corpos débeis não ofereciam resistência aos golpes de espada do guerreiro Barbudo, mas eram capazes de infligir algumas feridas.

Contudo estes humanóides selvagens tinham um truque na manga: poucos instantes depois surgiu um Ogre vindo da passagem a Oeste, acompanhado de mais seis Goblins. O feiticeiro Renly recorreu prontamente à sua magia para o paralisar com feitiços de gelo, permitindo aos seus companheiros atacar à distância e investir e recuar sem sofrer represálias.

OgreDurante o confronto outros seis Goblins vieram em auxílio dos seus congéneres, atacando sorrateiramente a partir do túnel a Este, mas os aventureiros não tiveram dificuldades em lidar com eles, e o mesmo ocorreu com os que acompanhavam o ogre, acabando um deles por fugir.

Quando o Ogre tombou finalmente, sucumbindo aos inúmeros golpes de espada, martelo e projéteis dos guerreiros e aos raios mágicos de Anash, a clériga de Pelor, o grupo estava demasiado cansado para prosseguir. Xyk limitou-se a espreitar a sala a Oeste (18), enquanto os restantes companheiros revistavam o corpo do Ogre, o que lhes valeu um bom saque de moedas de cobre, electrum e ouro, além de um queijo seco pouco apetitoso.

Receando uma nova emboscada, os companheiros limitaram-se a levar um arco curto e flechas do corpo de um Goblin, para uso do clérigo Iore, deixando os restantes cadáveres intactos.

Refugiando-se na floresta de onde tinham vindo, os aventureiros dedicaram algum tempo a cuidar das suas feridas, mas rapidamente concluíram que teriam que montar acampamento para um descanso mais longo, pois estavam todos demasiado debilitados devido à escaramuça que detivera a exploração tão prematuramente.

XP: 410

Após cerca de oito horas em que se revezaram na tarefa de vigília, os aventureiros decidiram regressar às cavernas ao coberto da noite que entretanto caíra. Notaram vozes e passos nas encostas da ravina, mas não se detiveram para averiguar a sua origem.

Uma vez de volta à caverna notaram a ausência dos cadáveres, mas encontraram trilhos de sangue que sugeriam que tinham sido arrastados. Exploraram então a sala a Este (17), onde viram alguns bancos e um barril com lanças. A Sudeste da divisão encontraram uma escadaria que subia cerca de 20 pés e depois virava para Oeste. Embora não tenham colocado pé sobre os degraus, ouviram vozes graves vindas de cima, que alguns dos aventureiros suspeitaram pertencer a Hobgoblins, uma variante maior e mais robusta da raça goblinóide.

A sala a Oeste da entrada (18) era semelhante à anterior, mas com uma ligação a uma caverna irregular e fedorenta, onde o que parecia ser um urso a dormir acabou por se revelar a pele de um dos ditos animais, recheada de folhas secas. Xyk cortou a cabeça para fazer um barrete que lhe serviria de recordação da sua aventura. Concluíram que este antro de imundice deveria pertencer ao Ogre e seguiram em frente, para Oeste.

Acabaram por ir parar à entrada de uma sala mais ampla com uma iluminação muito ténue (19), mas ainda assim mais aprazível que a total ausência de luz que reinava no resto do complexo. Desconfiados, os aventureiros encantaram uma pedra com um feitiço de luz, que o Chico lançou para dentro da divisão, revelando a presença de uma dúzia de Goblins que se preparavam para atacá-los a partir das sombras.

Caverna dos Goblins, sessão 1

Tendo sido eles os surpreendidos, o combate que se seguiu foi completamente arrasador, dizimando os diminutos humanóides em poucos segundos. Iore, o clérigo de Moradin, demonstrou as suas capacidades defensivas protegendo os companheiros de uma saraivada de flechas com o seu escudo.

Quando finalmente concluíram que a batalha era uma causa perdida, três dos Goblins tentaram fugir para Oeste em direcção a uma porta metálica, mas dois foram trespassados pelos projéteis dos aventureiros. Apenas um sobreviveu porque pediu misericórdia, ajoelhando-se perante os seus perseguidores. Os aventureiros ataram-lhe os braços, ponderando o que fazer com ele…

Dados

Comments

TheDungeoneer TheDungeoneer

I'm sorry, but we no longer support this web browser. Please upgrade your browser or install Chrome or Firefox to enjoy the full functionality of this site.